Franqueadores passam a assumir as rédeas nas parcerias bancárias para incentivar e facilitar o crédito para capital de giro e investimento em novas unidades.

A expectativa dos bancos é de alta superior a 10% no volume de convênios com franquias em 2018. O movimento acontece em um período de lenta recuperação nas concessões para grandes companhias. Depois de um primeiro trimestre frustrante em relação à demanda e aprovações de crédito, indicadores de abril a junho mostram fôlego.

O indicador trimestral de condições de crédito para grandes empresas superou expectativas, chegando a 0,17 de -0,22 ponto projetado, segundo o Banco Central. O mesmo ocorreu nas aprovações para pequenos e médios negócios, com 0,06 do -0,19 ponto previsto para o trimestre passado.

De acordo com o diretor de meios de pagamentos da TrustHub, fintech de soluções de pagamentos, os próximos meses tendem a ser ainda mais propícios ao aumento da busca de empreendedores por alternativas de crédito para franquias. “Diferente das grandes empresas, mais conservadoras frente ao ambiente de incertezas, a demora na retomada do emprego junto ao sentimento de melhora econômica dá espaço a micro e pequenos empresários crescerem.”

Em três dos cinco maiores bancos do País, os convênios são crescentes. O BB, com 86 parcerias, quer aumentar em 74% o volume

Fonte: DCI