Para a consultora é fundamental sempre estudar, pesquisar muito, porque não existe dinheiro barato.

Como evitar cair numa cilada na hora de investir numa franquia? Para a consultora Ana Vecchi é fundamental sempre estudar, pesquisar muito, porque não existe dinheiro barato.

A franquia é reconhecida como um negócio mais propenso ao sucesso em função do conhecimento e domínio da operação. A melhor maneira de avaliar uma franquia é conversar com quem já tem uma unidade: os franqueados. Se isso não for permitido, desconfie.

“Não existe a possibilidade do franqueador não permitir que você converse com os franqueados dele em operação. Porque ninguém vai abrir pra você, porque é sigiloso. Não é sigiloso. É fundamental nesse processo para saber o quanto se deve entrar nessa rede, quantos franqueados estão falando bem, se eles estão contentes, e se aquilo que foi vendido pra eles foi efetivamente entregue”, explica a consultora.

Ana explica que todo franqueador tem que entregar ao interessado a Circular de Oferta de Franquia, que é o documento que contém informações comerciais, financeiras e jurídicas da empresa. “Isso não é um documento que eu considero que tem que estar disponível num site. Isso é um documento jurídico, não é material de marketing”.

Sinal vermelho também se houver pressão para a assinatura do contrato. “A lei diz: você candidato à franquia, tem 10 dias pra receber a Cof, ler, analisar e só depois disso voltar a ter contato com o franqueador para possível assinatura do contrato.”

Por exigir investimento inicial menor — de até R$ 90 mil – as microfranquias são muito atraentes. Mas nem por isso são garantia de retorno rápido do investimento.

“Essa promessa de você investir pouco e ganhar muito dinheiro, ou você investir muito e retornar muito rápido porque é a grande tendência de mercado, isso não existe. Comprar uma franquia é talvez trabalhar como nunca se trabalhou na vida”, avisa Ana.

E lembre-se: das quase mil redes que atuam no franchising brasileiro, existe todo tipo de opção. Marcas consolidadas há décadas e outras que apostam em nichos totalmente novos. Empresas que oferecem muito ou quase nenhum apoio ao franqueado. O importante é analisar bem e escolher uma franquia que se adapte ao seu perfil. Aí é trabalhar pro negócio fazer sucesso.

Fonte: PEGN